Baseado no clássico “O Doente Imaginário”, de Molière. Conta a história de Argão, homem do campo que acredita ser o mais esperto da região. Cabeça dura e mão de vaca, tem suas manias e práticas próprias no trato com a terra. Coisas que irritam sua empregada, Toninha, que vive metendo o bedelho onde não é chamada, principalmente se o assunto tem a ver com a doce Angélica, filha de Argão que é apaixonada por Cleanto, agrônomo que acaba de voltar da capital. Cleanto não é bem quisto pelo velho Argão, pois este acha o pretendente da filha um chato de galocha, pois vive remendando e corrigindo o velho. Quem também não gosta nadinha de Cleanto é a interesseira Belinha, atual esposa de Argão e madrasta de Angélica. O que ela mais quer é que seu marido bata logo as botas para que ela possa herdar as terras e botas as mãos no dinheiro do nosso atrapalhado homem do campo. Em meio a muitas confusões, estes personagens vão descobrir o verdadeiro valor da vida, depois que Argão sofre um acidente e fica entre a vida e a morte. Uma divertida comédia com os mais tradicionais tipo do teatro mundial, baseada em um dos maiores dramaturgos do planeta.

O espetáculo viaja, desde 2012, pelo Brasil dentro do projeto Cultivida.

Ficha Técnica

Direção coletiva com supervisão cênica de Rodrigo Scarpelli.

Com Carlos Doles, Daniele Silva, Ketlyn Azevedo, Vanessa Soares e Victor Motta.

Figurinos de Felipe Cruz.

Cenário de Jaime Pinheiro.

Adaptação de Carlos Doles da obra de Molière