DRT: 29812/SP

 

Iniciou-se nas artes dramáticas em 1995 com Nanaia de Simas em “A Moreninha”, adaptação do romance de Joaquim Manoel de Macedo. Em 1996, com a mesma diretora fez “O Noviço” de Martins Pena. No mesmo ano fez “Chapeuzinho Vermelho”, “Pluft, o fantasminha” e “Uma certa Branca” com direção de Mário Pérsico com o grupo “Cia Clássica de Repertório”. Em 1997 fez “Agmenon” de Ésquilo sob direção de Carlos Roberto Mantovani com o “Grupo de Experimentação Teatral do Espaço Cultural dos Metalúrgicos”. Em 1998, “Histórias Banais”, texto e direção de Carlos Roberto Mantovani pelo mesmo grupo e “O moço que casou com mulher braba”, também dirigido por Mantovani. No mesmo ano fez as performances “Graças e desgraças de uma cidade a 90km da capital”, “Auto da Paixão”, “Auto de Natal” e “Cult” sob direção de Mantovani. Em 2000 fez preparação vocal dos atores de “Gota d’água” texto de Chico Buarque montado pelo Grupo de Experimentação Teatral do Espaço Cultural dos Metalúrgicos com direção de Carlos Roberto Mantovani. Em 2003/2004 fez “Romeu e Julieta” sob direção de Rodolfo Amorim (como atriz e preparadora vocal). Em 2005/2006 fez o espetáculo “O Circo Guaraciaba” sob direção de Rodolfo Amorim. Em 2006 participou da montagem “Se Anacleto soubesse” com o Grupo Manto e Circo Guaraciaba. Em 2007/2008 participou da remontagem do espetáculo “Histórias Banais”, com direção de Rodrigo Scarpelli. Em 2009 participou como atriz da preparação para a montagem de Roberto Zucco (texto de Bernard Marie Koltés com direção de Rodolfo Garcia Vasquez) com o grupo “Os Satyros”. Em 2011, participou como atriz do espetáculo “Madame X – A ré misteriosa” com direção de Mário Pérsico com o Grupo Circo Guaraciaba. Em 2012 participou como atriz do espetáculo “O Ébrio” com direção de Mário Pérsico com o Grupo Circo Guaraciaba. Estudou canto lírico por dois anos. Participou do Coral Káris sob regência do maestro Jonicler Real e o do Grupo “Sambantigo” com Rolandro Beltran, Vera Lúcia e Manoel. Em 2012 participou como atriz do espetáculo “A família Gilbbertt” com o grupo Trupé de Teatro sob direção de Rodrigo Scarpelli. Em 2012, como atriz do espetáculo “O Parto” com o grupo Trupé de Teatro e direção de Carlos Doles. No mesmo ano, participou, como atriz, do espetáculo “Do Alto da Santa Cruz, vi o Auto do Menino Luz” com o grupo Trupé de Teatro e direção de Carlos Doles. Em 2013 participou do espetáculo “Um dia o Raio caiu e o Baixo Ventre da cidade se abriu” com o grupo Trupé de Teatro e direção de Carlos Doles. Atualmente é atriz no grupo Trupé de Teatro.